segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Acabaram-se as brincadeiras

“Surfcasting”
Boas pessoal!
Quando chega o Inverno e com ele os mares grandes e fortes as condições de pesca escasseiam, no entanto a qualidade das capturas por vezes aumenta consideravelmente quando o mar nos deixa pescar, os fundos de pedra ou mistos fornecem alimento aos peixes e são quase sempre locais prometedores, depois mesmo que a jornada não corra como planeamos no inicio ao menos serviu para apaziguar a “fome” de pescar que nesta altura do ano se resume a meia dúzia de dias.


No que diz respeito a esta jornada de surfcasting, a noite estava fria, húmida e desagradável, o vento chato estava de frente e ter o vento de frente na pesca é o mesmo que ter a sogra por trás, não sei qual dos dois o pior.

 Mas havia algo que ajudava a ultrapassar estas condições, era a sede de capturar um bom Robalo e senti-lo na ponta da linha a lutar e a puxar para se tentar libertar e foi o que aconteceu logo com o primeiro peixe que apanhei, era um bom Robalo que teimava em não sair da água e é destes que eu gosto, quando tudo corre bem é a melhor sensação da pesca.
Bom mas com o velhaco cá fora e bem seguro dentro da saca já estava mais tranquilo, pois mesmo que não pescasse mais nada já tinha eliminado o chibo e tudo o que viesse a mais era para compor a saca.

A pesca continuou e achei estranho não aparecer ninguém por ali, praia que eu pouco frequento porque normalmente tem sempre alguns pescadores, talvez por ser dia de semana e estar frio não estivesse por lá ninguém. O tempo foi passando e tirei cerca de três bailas pequenecas que foram devolvidas e quando pensava eu que já tinha a pesca feita foi quando vi a cana da direita balançar ligeiramente e ficou folgada, gosto tanto quando isto acontece 😊 hahahaha, assim que peguei na cana senti que tinha um bom peixe e seguiu-se o ritual de trabalhar o velhaco com calma e cuidado para que tudo acabasse bem, tinha uma praia de areia só para mim e não tinha pressa nenhuma.
Peixe cá fora e aproveitei para tirar a foto da praxe como que adivinhando que a pesca estava mais que feita…


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Black Panther 4,20
            Cinnetic Panther Evolution 4,20
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  RayLine 0,18 nos carretos, chicotes Cinnetic e SkyLine 0,40 nos estralhos


Aproveito para dizer aos simpatizantes da marca Cinnetic que este ano entre outras novidades há também os chicotes na medida de 0,23 mm que bastante falta já faziam…


Gosto tanto disto


Depois da faina feita era hora de confortar o estômago com uma sopa de batata com ovos escalfados e agora sim podia dormir tranquilo.


Acabaram-se as brincadeiras 


Numa dessas noites de muito frio em que fui fazer um spinning aos laredos a ver se cravava um Robalo, estava eu à espera que a maré voltasse a meter água no pesqueiro e cansado que andava de noites mal dormidas deitei-me ali um bocado e fechei os olhos, passado pouco tempo começo a arrefecer e é quando me veio ao pensamento aqueles “macacos” que chegam ao facebook e sem vergonha nenhuma perguntam tipo assim “ Boas pessoal quero ir fazer uma pesca em tal zona, sabem se tá a sair peixe por lá? Já agora em que praia e qual o melhor isco?”  hahahahahahaha (Olha lá o gajo é bom páá!!!)  Poourrrrra ganda lata!!!!!!! Fod#$& assim também eu quero ser pescador!!!!!

Anda um gajo aqui há anos a tentar perceber como é que isto funciona, a aprender com os erros, a levar barretes e a carregar chibos, faço mais de 100km para vir à pesca, noites e noites a fio a dormir mal e porcamente na carrinha ou em cima das pedras, a precisar de um banho e de preferência de água quente, neste momento são quase 3h da manhã estou eu deitado numa cama de pedras com a cabeça numa almofada de pedras cansado e com frio a ouvir constantemente o raio do chibo a berrar-me aos ouvidos, ainda não senti um peixe e aqueles gajos, toma!!!!!  Levantem mas é o cú da cama e vão apanhar frio e dormir ao relento em cima das pedras que é para verem o que é bom pós os ossos pá… “Não querem pesca!!!!? Atão toma lá pesca Man!!! Vaiiii-te embora choco”


Acabaram-se as brincadeiras, está na altura dos meninos ficarem em casa no aconchego e darem a velha desculpa do (epá hoje não estou praí virado, não gosto destas marés) hahahaha


Um dia destes realizou-se em Faro o jantar de Natal do grupo de pesca do facebook (Pesca é fish – Águias do sul)
A mesa foi preenchida por onze pescadores de varias modalidades e todos muito bem dispostos, com fome e muita sede hahaha… Depois do estomago bem forrado e de muita risota e galhofa lá tivemos de “varrer” uma garrafa de um belo medronho oferecida pelo Duarte da “ALGARVEPESCA”
Depois disso a noite teve continuação e paragem em várias “capelinhas” eu ainda fui à 1ª ronda mas depois abandonei o barco, pois o cansaço acumulado de noites de pesca mal dormidas falava mais alto…


Obrigado Duarte, para o ano que vem traz outra 😉

Haja saúde e força aí pessoal…

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Poucos mas bons

Boas pessoal!
Este foi um inico de temporada muito aquém do que eu tinha pensado, perdi alguns dias de pesca devido ao calor que se prolongou até demasiado tarde, segundo os entendidos no assunto foi o Outubro mais quente desde o ano de 1930.


As jornadas de surfcasting têm ficado para 2ºplano por vários motivos, entre eles destaco a relação qualidade/preço do isco vivo que se vende nas lojas de pesca actualmente (da minha parte cortei em cerca de 70% na aquisição de isco em lojas de pesca), depois a tudo isto junta-se a distância a que costumo pescar 90% das vezes que são mais de 100km de estrada (rua EN:125) para lá e outros tantos para cá, o que faz com que as jornadas sejam selecionadas e planeadas sempre pela “certa” e da maneira mais rentável possível. Alguns erros de cálculo também os cometi e perdi mais uns dias de pesca o que serviu para aprender mais qualquer coisa neste mundo sem fim que é a pesca…


O outono já lá vai e infelizmente está a ser um dos mais secos das últimas décadas, a seca está a tornar-se um autêntico flagelo a nível nacional e a chuva teima em não cair, pelo menos em quantidade que se veja, mas pouca gente se preocupa com tal situação e só se vão aperceber do problema no dia em que abrirem a torneira e não sair uma pinga de água.


Bom mas no que diz respeito à pesca, esta foi uma jornada de spinning e chumbica, como no spinning não tive qualquer captura restou-me aproveitar o dia seguinte a pescar aos sargos da falésia. Não foram muitos mas foram bons, três Sargos kileiros e outros tantos sem medida que foram prontamente devolvidos…


É incrível como é que uma miniatura destas se crava tão bem no anzol e os Robalos com vários kilos não ferram nas amostras ou “desensolam debaixo dos pés"


Material utilizado
Cana: Cross Power pulse 6m da Cinnetic
Carreto: versão 5000
Linhas: SkyLine 0,30 no carreto e MIMETIC 0,24 nos estralhos


De manhã bem cedo já o som das gaivotas entoava junto à falésia.


Se querem comportar-se como animais façam como eles, não façam lixo.


Que tristeza


Ainda trouxe algum, mas isto é apenas uma migalha do que há espalhado naquelas falésias. Saúde da boa e força aí pessoal, já agora não deixem lixo nos pesqueiros e se trouxerem apenas uma peça de lixo que não seja vossa já é uma boa atitude.

segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Tiro no escuro, tiro certeiro

“Spinning”
Boas pessoal!
O mar esteve uns dias de feição e fui fazer um spinning a ver se me calhava alguma coisa.
Cheguei ao spot já de noite, fui mais tarde para evitar como sempre o trânsito da rua nºEN125, ia a caminho e a pensar qual seria o laredo em que iria apostar nesta noite, resolvi ir a um spot que não ia há muito tempo e que não sabia se já tinha desareado ou se ainda tinha alguma areia, seria um tiro no escuro
Os dias estavam quentes mas as noites já eram frescas, um gajo sai de casa à verão mas tem de levar uma muda de inverno porque de noite e de madrugada já faz uma boa rijeza e se o vento encana de Leste ou Nordeste até miam, que saudades que eu tinha destas noites frescas.

A abordagem ao pesqueiro como sempre fez-se com cautela e devagarinho pois à noite os cuidados têm de ser redobrados e lá em baixo um simples movimento em falso ao caminhar por cima das pedras húmidas ou molhadas pode tornar-se bastante perigoso se não formos cautelosos.


Em acção de pesca ao fim de meia hora tive o primeiro peixe e talvez uma meia hora depois tive o segundo, dois Robalos já bons que valiam a investida, mais tarde tive um terceiro ataque bom mas não ferrou, era a “maldição” dos mares a cumprimentar-me, pois quase sempre quando isso me acontece não tenho mais qualquer ataque, o que se veio a confirmar mais tarde.


Este é um pesqueiro com alguns caprichos e esta foi uma jornada produtiva em termos de conhecimento e conclusões para o futuro, pois com o passar dos anos vai-se gravando certos pormenores na memória que mais cedo ou mais tarde contribuíram para o sucesso de uma boa pescaria.


Material utilizado
Cana:  Cinnetic Crafty Sea Bass CRB4 3m   
Carreto:  Cinnetic Cautiva ll 4500
Linhas: multi  RayBraid 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Crafty Minnow 150F (cor nº3)

A Crafty minnow 150F da Cinnetic tornou-se uma amostra imprescindível pare este tipo de pesqueiros de muita pedra e pouca água, pois ao contrário de outras amostras que afundam pouco e agarram mal esta é uma amostra que afunda pouco e agarra razoavelmente bem.


O amanhecer do dia seguinte revelou o que eu mais temia, dezenas de bóias junto à Costa denunciavam centenas de metros de redes e aparelhos alvorados, coisa que já faz parte daquela Costa quando o mar dá uma quebra de vários dias.


Depois de subir um laredo à noite e quando chego lá em cima, uma “sopa dos pobres” vem mesmo a calhar. (sopa dos pobres = sopa com uns bocados de pão para render mais)

 Nos últimos meses tenho vindo pouco para estas bandas como é normal no verão, então aproveitei a manhã seguinte para dar um “Olá” a algumas pessoas amigas que vivem na Vila e que eu vou conhecendo por aqui com o passar dos anos…


Corvos, o pássaro preto que representa o mal, há quem diga que representa o diabo, outros dizem que é o confidente das bruxas, seja lá o que for para mim tanto faz, eu gosto deles…


E quando se quer descansar de dia e as moscas não deixam, principalmente no Outono que elas andam alvoradas, lá se tem que improvisar uma rede mosquiteira.


Nunca gostei de usar o termo “grade” na pesca, pois prefiro o meu querido chibinho embora não tenha saudades nenhumas desse gajo, mas neste dia levei uma grade que alguém deixou no campo depois de ter feito um piquenique, infelizmente é assim…

Bom mas o verão parece que já lá vai e o mar começa a “serrar os dentes” como é normal nesta altura do ano, ele é que manda e resta-me esperar como ele me ensinou…
Pois a última palavra cabe sempre ao Mar Vicentino.
Saúde da boa e força aí pessoal.

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Crafty Sea bass 2.70m Light game da Cinnetic (update)

 “Spinning”
Boas pessoal!
A “Crafty Sea Bass 2.70m light game” é uma cana de spinning da Cinnetic que está comigo há já uns tempos, tenho esta cana para umas pescas mais ligeiras e também para usar com passeantes e pequenos vinis, artificiais esses que eu gosto de animar com alguns toques de ponteira.


Com base no que escrevi anteriormente quando apresentei esta cana aqui no blogue, resolvi fazer uma revisão e um apanhado de algumas capturas que já nem eu me lembrava 😊


Em carbono de “30 tones” e com 2,70m de comprimento tem 199g de peso com uma acção de 15-42 g é na minha opinião a cana ideal para pescas mais ligeiras. Vem equipada com passadores e porta carretos Fuji e tem uma cor bastante atractiva. O melhor ainda é o seu preço bastante simpático para a qualidade que esta cana tem.


O seu desempenho com vinis entre as 15 e as 30 g é excelente, pois ela tanto lança bem as 15g como as 30g, mais que isso não aconselho. Como eu gosto de trabalhar um vinil com pequenos toques de ponteira e sendo uma cana curta e leve mesmo depois de algumas horas não noto cansaço algum no pulso ou no ombro.


Falando agora um pouco do seu desempenho com amostras de superfície neste caso os passeantes até às 30g que são os mais usados por mim, efectua uns lançamentos certeiros e precisos, dá gosto trabalhar estas amostras com uns toques de ponteira energéticos, sendo óptima para quem gosta de praticar o “walk the dog” 


É macia tem um punho bastante confortável e vem equipada com componentes de alta qualidade, obedecendo assim na perfeição a três tipos de artificiais (vinis, passeantes e jerkbaits)
Já fez capturas de peixes de kilo até peixes de 4 kg e sendo ela uma cana bastante sensível transmite ao pescador um prazer enorme na altura de lutar com o peixe, até mesmo com exemplares de pequeno porte…


Não sendo o meu objectivo no início usar a “Crafty Sea Bass 2.70m light game” para pescar na praia não perdi a oportunidade de testa-la também neste terreno e fiquei surpreendido com o seu desempenho, lançando bastante bem os jerkbaits que costumo usar desde as 13g até às 30g.


Aproveito para informar que também existe em 2,40m com acção 10-30 g e 171 g de peso.
E também em 2,70 m com acção 10-35 g e 181 g de peso.


Fica uma pequena selecção de algumas capturas que fiz com esta cana no passado.
(Atenção que estas são fotos de capturas antigas e que já foram publicadas aqui no blogue)
Saúde e força aí pessoal…












segunda-feira, 16 de outubro de 2017

As boas vindas

“Spinning”
Boas pessoal!
Fartei-me de esperar que o calor se fosse embora e mesmo com altas temperaturas decidi fazer uma investida, optei pela vertente de spinning porque era menos uma preocupação que levaria às costas (não precisava de me preocupar com a temperatura do isco ou mudança da agua, etc)
Analisadas as condições decidi ir a um laredo norte ver se os Robalos dão a cara para lhes dar "as boas vindas", gosto tanto de spinnar nestes spots, locais que por vezes escondem umas boas surpresas. Arranquei de casa depois do jantar nas calmas e assim evitei o calor e o trânsito da "rua" EN.125, lá fui dormir no sítio que tinha em mente…


Levantei-me bem cedo para fazer o asseio da manhã e fui descendo com cautela, o facto de conhecer estes laredos há alguns anos convém ser prudente principalmente na descida e nas pedras molhadas, é sempre interessante voltar a estes sítios, à medida que vou descendo ou subindo vou relembrando algumas pedras e rachas que existem por ali tal como cabos que desapareceram e outros que foram instalados recentemente por pescadores ou mariscadores, trilhos que ficaram tapados com derrocadas e trilhos novos que aos poucos se vão moldando á medida que o pessoal por ali vai passando, são alguns dos aspectos que “temperam” a magia destes laredos de difícil acesso…

Comecei a pescar e já sentia o poder terapêutico desta Costa. Não demorou muito e tinha o primeiro Robalo a marcar presença de peixe na zona, facilmente o meti cá fora e já estava satisfeito, pois havia tanto tempo que não ferrava um ao spinning 😊 três ou quatro lançamentos depois e já tinha outro na ponta da linha, se um já era bom dois então melhor ainda (para a primeira investida ao spinning da temporada não está mau, pensava eu) depois mudei de spot porque a amostra estava a bater demasiado nas pedras e cerca de 30 minutos mais tarde estava lá o terceiro Robalo a marrar.

Com três peixes porreiros no ceirão e depois de tanto tempo sem spinnar estava mais que bom, ainda fiquei por ali um bocado sem sentir mais nada e foi até perder a amostra, de seguida dei por terminada esta jornada de spinning…


Há quem goste de passear nos centros comerciais, eu gosto de passear aqui no meu centro comercial…

As emoções que o spinning transmite são um desafio que nos faz querer sempre mais e mais, tornando assim esta pesca muito viciante.
Hoje o tempo já está mudado e os dias mais frescos que se tinham tornado uma miragem parece que se anunciam ao longe, a ver se é desta; pois já tenho saudades de vestir manga comprida.
Em relação à chuva que tanta falta faz, só a mãe Natureza é que pode por mão no assunto, seja ela muita ou pouca é bem-vinda mesmo que venha estragar os penteados dos mais vaidosos…


Neste tipo de pesqueiros (laredos) gosto de pescar com a Cautiva 3.30m da Cinnetic, é uma cana potente e versátil que no meu ver faz frente a situações mais exigentes como foi o caso neste dia em que o mar tinha um toque forte e havia muita pedra, sendo assim obrigado a apertar um pouco mais com eles, dois peixes capturados com vinil de 40g e um peixe capturado com a Crafty Minnow 150F.

Material utilizado
Cana: Cinnetic Cautiva 3,30m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi RayBraid 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificial responsável pela captura: Vinil & Crafty Minnow 150F (sardinha)


Um lindo vale casado com o mar onde despeja as suas águas ricas em nutrientes há centenas ou milhares de anos, vai-se lá saber.


Armadilha mortal para alguém mais distraído


Mais uma noite de petisco com o amigo João Santana


E começa a guerra contra o lixo novamente, sempre que posso apanho algum, mesmo que não seja muito…

Saúde e força aí pessoal

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Outono quente

Boas pessoal!
Normalmente o Outono por aqui costuma ser quente, horas mais quentes com o sol a pique e tardes amenas, mas este está a ser um Outono mais quente que o habitual, é normal por aqui fazerem dias com temperaturas de 25º em Outubro, mas não é normal fazerem dias seguidos com temperaturas de 27/28º e mesmo 30º até as noites de Outubro que costumam arrefecer, este ano estão noites de verão…


As águas estão mais quentes agora do que estavam em Agosto e recentemente tiveram aí dois dias bons para se fazer uma pescasita aqui perto de casa, como a fome de pescar é mais que muita organizei-me e lá fui alimentar o vício…
Com alguns pescadores espalhados pela zona escolhi um sitio com menos gente e fiquei por ali.
Logo cedo o peixe começou a dar de sinal e lá foram saindo uns pexecos para ir compondo a geleira, ao mesmo tempo ia devolvendo outros que não me alegravam a vista, os vizinhos pouco peixe tiravam e nada devolviam, coisa que já é habitual neste pesqueiro, limitavam-se a olhar para o que eu estava a fazer, é por isso que eu gosto de pescar sozinho e se possível de noite… O dia foi passando e o tempo estava quente, ainda levei três fresquinhas para refrescar a garganta  😊


O resultado final ainda somou 11 kg de peixe numa mista bem variada 


Elas que se cuidem


Aproveito para postar mais umas fotos de um petisco feito com a malta do costume e no sítio do costume, brincadeira e risada não faltou…


A partir das 17h já o spot está à sombra e neste dia havia salada de ovas feita pelo João e salada à Lobo feita por mim…


Salada à Lobo, como diz o amigo João Santana  😊


Coisa mais linda.


Agora resta esperar que o tempo mude, pois isto não é bom para ninguém e muito menos para a Natureza que começa a trocar os ciclos, certamente  deve chover para a Feira de Faro como manda a tradição (quem é daqui sabe bem do que falo)
Saúde da boa e força aí pessoal.