segunda-feira, 27 de junho de 2016

Pausa



“Spinning”
Boas amigos e leitores!

Neste episódio preparei o material para ir fazer uma pesca de falésia durante a tarde e depois já de noite ia fazer uns lançamentos ao spinning. Assim foi, depois de parar no sítio do costume para beber um café rumei ao pesqueiro que tinha em mente e que por sinal estava deserto, estranhei logo quando não vi lá ninguém mas por um lado era bom, não iam cruzar linhas comigo como já tem acontecido. Depois de ter já 2h de pesca e apenas ter tirado um parguete miniatura fiquei a saber o porquê de não estar lá ninguém, pois o peixe tem sido pouco e eu apenas cumpri o plano, pesquei até ao cair do dia e mais um pouco e fui pregar para outra freguesia, no total rendeu quatro miseráveis peixinhos…


Aí vem ela!!!


Estava na hora de trocar a cana da falésia pela cana de spinning e ir ali a um spot fazer uma pescasita rápida, estavam lá dois pescadores de surfcasting e eu fui mais para o lado, fiquei condicionado a um cantinho e se a pesca já se previa curta ainda mais curta ficou.
O único toque que senti ferrou bem e este não tinha hipótese de fuga, com metade da amostra dentro da boca, foi quase como que uma surpresa apanhar este peixe nesta altura do ano e no sítio onde foi, talvez sorte ou talvez eles façam uma aparição de vez enquanto por estas bandas…


Material utilizado
Cana:  Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi 0,18 com chicote 0,40 MIMETIC da Cinnetic
Artificiais: Jerkbaits


Como é hábito e ainda mais na altura do verão, quando o amigo João Santana do blogue http://litoralalentejanosurfepesca.blogspot.pt/ vem passar uns dias a Faro, arranjamos sempre um tempinho para combinarmos uns petiscos e conversarmos de pesca, Robalos, Sargos, Douradas, pesqueiros e pesca e pesca e pesca hehehehehehe… Nesta vez não falhou a tradição e fizemos mais um petisco à maneira…


Lingueirões fritos à Lobo, Polvo à Santana e percebes que o João apanhou naquela manhã…


Liquido para hidratar 


Outro dia outro petisco e um brinde com um Martini à Lobo hehehehehe


Neste dia a ementa foi uns lingueirões de cebolada à Lobo, amêijoas de tomatada à Santana, conquilhas e um polvo à Santana (acho que neste dia comi o polvo mais tenro até hoje)


Mais liquido para hidratar numa noite de calor


Agora com o verão a estalar as minhas idas à pesca diminuem bastante, deixam de ser prazerosas e passam a ser martirizantes, o excesso de calor que eu detesto juntamente com a confusão aqui no Algarve fazem com que as viagens na miserável estrada EN.125 para os pesqueiros sejam um autêntico martírio, isto juntamente com os dias grandes, os pesqueiros cheios de gente parva que não sabe respeitar e a regularidade de limo em vários pontos da Costa desmotivam as idas à pesca.

Muitos esperam ansiosamente esta altura do ano para fazer umas pescas e outros aproveitam para fazerem verdadeiras matanças de pequenos juvenis (robalinhos e douradinhas) na Ria Formosa, eu aproveito para fazer uma pequena paragem na pesca e assim sobra algum tempo para fazer umas petiscadas e beber umas cervejas com os amigos.

Espero voltar quando esta azáfama passar, para quem gosta desta época aproveitem-na da melhor maneira, pesquem muito libertem todos os pequenos e aproveitem o Mar e a Natureza da melhor maneira NUNCA deixando por lá o lixo.
Abraço e força aí pessoal.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Um dia na Ria Formosa

Boas amigos e leitores!
Um dia destes recebi uma chamada do Mestre Sílvio a desafiar-me para irmos dar um passeio de barco aqui na Ria Formosa, o plano era tentar alguma Dourada e aproveitávamos para apanhar alguma coisa para o petisco. Não simpatizando eu com a pesca de barco e depois do Sílvio insistir aceitei o convite “vamos lá aproveitar agora que isto para o mês que vem há barcos encavalitados uns por cima dos outros que até estala”…


Às 7h da manhã já o mestre Sílvio estava à minha porta e lá fomos nós, o dia logo de manhã ameaçava aquecer bem, chegamos ao barco e depois de verificar a palamenta a primeira coisa que fizemos foi parar numa regueira para apanhar uns lingueirões para pescar e trazer os restantes para petiscar em casa…


Com a maré já a encher deitamos ferro no meio da Ria montamos as canas e tivemos por ali um pouco entretidos à espera que passasse alguma douradeca, a pesca foi fraca neste dia e apenas tirámos uma…


Como as Douradas não queriam nada connosco saímos a barra e fomos apanhar umas cavalas que por sinal estão bem gordas. Para terminar e à vinda para terra o Mestre Sílvio parou ali num cantinho que ele conhece bem e metemos os palhacinhos na água para apanhar meia dúzia de chocos para grelhar…


Num dia de calor não podemos desidratar


O Mestre Sílvio Sempre atento


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Explorer Tanera 2.10
Carretos:  Cinnetic BIG 8000 HSG
Linhas:  Cinnetic Sky Line + MIMETIC


Ainda sobraram uns lingueirões para petiscar


 Não sendo eu apreciador de peixe azul apenas trouxe meia dúzia de cavalas para o pessoal cá de casa e as restantes levou o Sílvio


Pronta para ir para a grelha


Estes até estalavam

Abraço e força aí pessoal.


segunda-feira, 13 de junho de 2016

Quando o verão bate à porta


Boas amigos!
Com a chegada do verão normalmente reduzo as idas à pesca e costumo andar por outros pesqueiros que não frequento durante os meses frios de Inverno, de agora em diante e até ao final do verão raramente pesco na praia salvo raras excepções. 


Então neste dia combinei com o Mestre Sílvio e fizemos uma jornada de falésia a pescar em altura, passei na casa do Sílvio à hora combinada e durante a viagem discutimos qual seria o pesqueiro, tínhamos em mente um pesqueiro “novo” onde têm saído umas Douradas e que ficava de caminho mas o acesso é complicado. Decidimos então ir fazer a parte da tarde num outro pesqueiro mais longe e onde também costuma sair uns pexecos.


Passámos na Vila bebemos o cafezinho da ordem e lá fomos nós direito ao pesqueiro, ao início as condições estavam boas e logo esticámos as canas e vai de lançar. Volta e meia vinha uma ou outra isca ratada as horas foram passando e peixe nem sinal, começou a vir um nevoeiro acompanhado de vento frio e passado pouco tempo fomos convidados a trocar a roupa de verão pela roupa de inverno, ao cair da noite saíram meia dúzia de pexecos mas nada de especial…


A chegada do nevoeiro já se fazia sentir


Mestre Sílvio queres o cesto!!?


Olha afinal não é preciso o cesto hehehehehehe


Malmequer Vicentina


Vai-te embora òh bruxa


A noite estava desagradável de tal maneira com nevoeiro, humidade e frio que cheguei a comentar com o Sílvio “acho que este inverno que passou não tive uma noite tão agreste” a actividade do peixe era muito fraca e decidimos levantar ferro e fomos ao tal pesqueiro “novo” fazer a viragem da maré, ficava de caminho e não tínhamos nada a perder…
Chegamos e voltamos a esticar as canas, aqui pelo menos as condições meteorológicas eram bem melhores e estávamos mais protegidos do vento mesmo que não houvesse peixe.


Pouco tempo depois de estarmos a pescar o Sílvio leva uma mocada numa das canas que faz disparar o drag do “BIG” trabalhou o peixe devagar e aos poucos chegou à beira da falésia, ajudei-o a meter o cesto e não demorou muito estava ela cá em cima, era uma bela duma Burra que mais parecia uma porca gorda (afinal elas encostam aqui dizia o Mestre Sílvio ;) 

Material Utilizado
Canas:  Cinnetic Explorer Telecast 4.50  e outras…
Carretos:  Cinnetic BIG 8000 HSG
                     Cinnetic Cruisser XP 6500
Linhas:  Cinnetic Sky Line / MIMETIC


Resumindo pode-se dizer que foi um dia de pesca diferente e bastante interessante mesmo com pouco peixe, deu para metermos a conversa em dia o Sílvio levou uma bela duma burra e mais uns pexecos para casa e eu ainda consegui orientar uns besugos para o almoço do dia seguinte…
Saúde e força aí pessoal.


sábado, 4 de junho de 2016

Numa praia tranquila

“Surfcasting”
Olá amigos!
Esta foi uma jornada de pesca com algum vento, também por isso decidi que seria o Surfcasting uma boa aposta para enfrentar aquelas condições.
Os dias agora são grandes e eu pessoalmente não gosto nada dos dias grandes quando quero ir pescar salvo raras excepções, então escolhi uma praia que ainda tivesse pouco movimento e comecei a pescar de dia para aproveitar o início da enchente.

 A noite caiu e sem vizinhos por perto fui fazendo a minha pesca muito tranquilo, o peixe era pouco mas as iscas volta e meia vinham ratadas, aos poucos lá foram saindo uns sargos e umas bailas que foram devolvidas e ao mesmo tempo fui seleccionando alguns sargos para trazer para casa, mais tarde com a maré quase cheia trinquei um Robalote já porreiro com 1,300kg para compor a saca. Com o passar das horas a pouca actividade por parte do peixe e o estômago a roncar decidi desmontar o material e fui para a carrinha comer alguma coisa para depois poder dormir descansado, mais uma vez fiquei por lá e só no final do dia seguinte é que regressei a casa…


Cinnetic  Cayman Black + Sky Line 0,18 Red Inferno


Cinnetic Cyclone Black sensi surf 4.25


Cinnetic  Cayman Black + Sky Line 0,18 Clear


Cinnetic Sky Line extra sensitive 4.25


O total da pesca, não são grandes exemplares mas já tive dias piores


Aquela tal latinha de conserva com duas fatias de pão e um copo de tinto antes de “esticar o esqueleto” na minha suite de 4 rodas 


No dia seguinte a meio da manhã levantou-se uma besaranha que tive de abandonar a Costa e refugiar-me num pinhal onde aproveitei para descansar e passear.

Abraço e força aí pessoal, não deixem lixo nos pesqueiros…

sexta-feira, 27 de maio de 2016

No aceio da tarde


“Spinning”
Boas pessoal!
Nesta jornada de pesca a escolha foi para a vertente de spinning e para tal escolhi um laredo de que gosto muito e onde já fui feliz, o mar estava a descer embora de vez enquanto caísse uma onda com força. Desci o laredo ainda de dia e comecei a pesca no “aceio da tarde” onde capturei logo um pequenote que foi devolvido nas melhores condições. Enquanto à minha frente o sol se despedia no horizonte, algures na falésia um pássaro despedia-se de mais um dia com uma melodia que entoava no laredo que só ouvindo, são momentos como este que fazem da Costa Vicentina um local mágico e único que deverá ser respeitado por todos.


A pesca foi feita especialmente com vinis pois neste dia trabalhavam bem melhor que os Jerkbaits, ainda perdi um vinil e também algum tempo precioso na montagem de um novo terminal durante aqueles minutos importantes…


O único exemplar de jeito que tive a sorte de capturar, foi ainda com luz e foi ferrado exactamente junto a uma pedra onde já tinha ferrado um bom Robalo há uns anos, a pesca tem destas coisas… Depois de muitos lançamentos sem sentir mais nenhum toque terminei esta pequena jornada e subi a falésia já de noite e com muito cuidado…

Material utilizado
Cana: Crafty Sea Bass CRB4 3m
Carreto:  Cinnetic Cautiva 4500
Linhas: multi 0,18 com chicote 0,40 Skyline da Cinnetic
Artificiais: Vinil


Aquela subida abriu-me o apetite e preparei esta buchasinha para calar o estômago e descansar um pouco. Às 5h da manhã tocava o despertador e era hora de ir lá baixo outra vez, claro que a vontade não era muita mas por descargo de consciência lá fui, foi uma descida em vão pois não senti qualquer toque mas fiquei de consciência tranquila e deu para curtir o nascer de mais um dia naquela Costa…


Da parte da tarde o vento carregou como se previa e já não havia condições para pescar, aproveitei para dar um passeio numa praia de que gosto muito e apanhei algum lixo para ver se quilo ficava com outro aspecto, muitos de vós nem imaginam a quantidade de lixo que cabe dentro de um garrafão, deste bocados de plástico, sacos, esferovite, etc…


Por ultimo e para fazer tempo que passasse a hora de ponta na maravilhosa estrada EN-125 ainda aproveitei para curtir esta paisagem brutal.

 Pessoal aproveitem a pesca da melhor maneira e já sabem, não deixem lixo na Natureza.
Saúde e força aí.



sexta-feira, 20 de maio de 2016

Sargos fora de tempo


“Surfcasting”
Boas amigos!
Na semana passada estavam autênticos dias de Inverno e hoje já estão autênticos dias de verão, ainda na semana passada quando o tempo estava de chuva comecei a planear mais uma jornada de surfcasting diurno, andei em cima das previsões meteorológicas e logo no primeiro dia em que o tempo melhorou já eu tinha tudo preparado para arrancar para a pesca.


Cheguei ao pesqueiro e só estavam dois pescadores que passado pouco tempo se foram embora e ficou mesmo como eu gosto quase sem ninguém, só lá mais ao fundo é que estava um gajo sozinho mas era bastante longe e não me incomodava nada, montei material nas calmas e comecei a pescar. O mar ainda trazia algum lixo mas nada de mais, começaram por aparecer uns sargos de vários tamanhos, fui seleccionando e guardando alguns, acho que ainda devolvi quatro sargos e duas bailas, aproveitei os maiores para trazer, o peixe estava a comer bem e ainda consegui juntar oito Sargos bem bons sendo quatro deles kileiros…
Mas o tempo esta semana já é outro bem diferente e jornadas deste tipo a partir de agora com a chegada do tempo quente são para esquecer…


Oito Sargos = 6kg


Dois deles acabaram assim deitados numa cama de cebola tapados com um lençol de tomate e regados com um branquinho bem gelado que já apetece. Bom apetite e até à próxima amigos...


Material utilizado
Canas:  Cinnetic Cyclone Black 4,25
    Cinnetic Sky Line 4,25
Carretos:  Cinnetic Cayman Black Evolution 7000
Linhas:  Skyline da Cinnetic